sábado, 9 de julho de 2016

Paráfrase, oração adverbial [reduzida/desenvolvida] e relação de sentido


Considere a tirinha com o personagem Armandinho e, em seguida, faça o que se pede:

1. Indique a relação de sentido expressa pela primeira oração, na segunda fala [segundo quadrinho].

As orações adverbiais são ligadas ao verbo de uma oração principal indicando determinadas relações de sentido, como: causa, comparação, concessão, condição, conformidade, consequência, finalidade, proporção e tempo. No caso específico da referida oração, temos a relação de sentido de finalidade. No contexto do quadrinho, não haveria dia para termos como meta, objetivo, finalidade demonstrar carinho pelas mulheres.

2. Identifique a forma em que a referida oração foi redigida [desenvolvida ou reduzida].

Quando falamos na forma como as orações subordinadas se apresentam, estamos analisando a estrutura formal dela, isto é, se são desenvolvidas [apresentando conectivos oracionais e verbo na forma modal: indicativo, subjuntivo ou imperativo] ou se são reduzidas [não apresentando conectivo oracional e com verbo no infinitivo, gerúndio ou particípio], A oração em análise Pra mostrar nosso carinho [...] estabelece relação de finalidade por meio da estrutura ou da forma reduzida de infinitivo. Notemos que não há conectivo oracional e o verbo se encontra no infinitivo, nesse caso, flexionado.

3. Reescreva a primeira oração [segundo quadrinho], passando-a para outra forma possível [observe a correção gramatical].

Outra maneira de redigir a oração que estamos analisando é transformá-la em desenvolvida, ou seja, construindo-a com conectivo e com verbo na forma modal. Assim teríamos a seguinte redação: Para que mostremos nosso carinho [...] ou A fim de que mostremos nosso carinho [...].

Grande abraço!


Prof. DiAfonso


Acesse e curta PORTUGUÊS NO PONTO.

terça-feira, 5 de julho de 2016

Paráfrase: orações reduzidas

Olá, pessoal! Vamos ao Ponto?

A orações reduzidas [aquelas que não apresentam conectivo oracional, e o verbo se encontra em uma das formas nominais: infinitivo, gerúndio ou particípio] são excelentes recursos linguísticos para dar fluência ao texto e evitar o chamado queísmo [repetição exaustiva do conector que].

Propomos, então, um desafio: como poderiam ser rescritos, na sua forma reduzida de infinitivo, os segmentos oracionais grifados abaixo?
  1. Adolescentes, adultos, jovens e idosos buscam uma imagem tão perfeita que se tornam criaturas servis desse mundo de poder da imagem.
  2. Ainda que o culto exacerbado à beleza do corpo traga prejuízos à saúde, ele tem se alastrado entre jovens, adultos e idosos.

Segmento 1:

A oração em destaque possui valor semântico de consequência. É, portanto, uma oração subordinada adverbial consecutiva introduzida pelo conectivo que. Uma outra forma de reescrevê-la, mantendo o sentido, mas mudando sua forma para reduzida de infinitivo, seria: "[...] a ponto de se tornarem criaturas servis desse mundo de poder da imagem."

Segmento 2:

É também uma oração adverbial. O conectivo ainda que expressa valor semântico de concessão. A reescritura da referida oração para a forma reduzida de infinitivo seria: "Apesar de o culto exacerbado à beleza do corpo trazer prejuízos à saúde, [...]"

Grande abraço!

Prof. DiAfonso

Acesse e curta PORTUGUÊS NO PONTO.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Ortografia: RAtificar ou REtificar?


Olá, pessoal! Vamos ao Ponto?

Ambas as palavras fazem parte do léxico ou vocabulário da língua portuguesa. A grafia de cada uma delas está, de acordo o sistema ortográfico oficial, correta.

A primeira, RAtificar, tem origem na palavra latina RAtificare e significa: confirmar, validar, reafirmar [No debate, RAtificou suas posições sobre ciência e fé.].

A segunda, REtificar, é originada do latim REctus [direito, reto] e tem os seguintes significados: corrigir, emendar, endireitar [No debate, REtificou sua posições sobre ciência e fé.].

Grande abraço!


Prof. DiAfonso

Acesse e curta PORTUGUÊS NO PONTO.


segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Ortografia: PREvilégio ou PRIvilégio?


Olá, pessoal! Vamos ao Ponto?

Segundo a norma ortográfica oficial em vigor e em função de sua origem, a palavra em discussão deve ser escrita com "I" na primeira sílaba e não com "E"Essa palavra deriva do latim "PRIvilegium" e se escreve e se pronuncia "PRIvilégio".  De acordo com o dicionário Aulete, pode significar:

  1. Direito ou vantagem especial que se concede a uma ou mais pessoas com exclusão dos outros [Os privilégios dos parlamentares constituem uma afronta aos cidadãos deste país.]; 
  2. Atributo específico de alguém ou de um grupo [A educação não deve ser privilégio de alguns.];
  3. Licença, permissão, oportunidade que só são dadas a alguns [Foi-lhe dado o privilégio de fazer as provas no dia seguinte.].


A palavra privilégio pode ser substituída, a depender do contexto, por prerrogativa ou apanágio.

Todas as palavras pertencentes à família de privilégio devem ser escritas com "I" na primeira sílaba: privilegiar, desprivilegiar, privilegiado[a].

Vale registrar ainda que a palavra privilégio é acentuada na penúltima sílaba por ser uma paroxítona terminada em ditongo, entretanto pode ocorrer o uso da forma privilegio, sem acento, quando indicar a primeira pessoa do singular do presente do indicativo.

Grande abraço!

Prof. DiAfonso

Acesse e curta PORTUGUÊS NO PONTO.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Eis a Questão! Resolução e Comentários [02]


Olá, pessoal! Vamos ao PONTO?

Questão Proposta:

[FGV - TJ-PI - 2015 - Nível Superior - Analista Judiciário - Área Judiciária - Escrivão Judicial]

"Um plano de Contingência para o Trânsito necessita de planejamento prévio para lidar com situações emergenciais e atuar em casos que venham a causar transtornos".

Respeitando-se o paralelismo, as formas que podem substituir adequadamente as formas nominais sublinhadas são:

(A) que lide / que atue; 
(B) que lide / que atuem; 
(C) que lidasse / que atuasse; 
(D) a liderança / a atuação; 
(E) a lide / atuante.

Resolução e comentários:

Antes de analisarmos a questão, é preciso notar a presença da palavra "paralelismo", presente no enunciado, e resgatar o sentido dela. Tal palavra, no universo das construções de ideias por meio da linguagem verbal, tem a ver com equivalência ou correspondência na estrutura frasal. Isso pode ocorrer no plano sintático [organização de palavras e frases] ou no plano semântico [sentido veiculado por frases e palavras]. 

Desse modo, a questão propõe que o[a] candidato[a] assinale a opção em que essa equivalência de estrutura acontece. Ressalte-se, por fim, que a proposta solicita, implicitamente, a reescritura de partes do fragmento [paráfrase] respeitando o paralelismo, isto é, a equivalência na estrutura sintática. 

Analisemos:

(A) que lide / que atue; 

[A estrutura do segmento - no qual se encontram os termos grifados - pode ser substituída por formas verbais no presente do subjuntivo. Essas formas verbais deverão estar na terceira pessoa do singular para concordar com o antecedente do pronome relativo que: "...planejamento prévio que lide com situações emergenciais e que atue em casos...". - Item CORRETO]

(B) que lide / que atuem;

[A primeira forma promove a substituição e equivalência adequadas; a segunda forma, embora apresente paralelismo, cria um problema de concordância verbal comprometendo a paráfrase ou reescritura do segmento em questão. - Item FALSO]

(C) que lidasse / que atuasse; 

[Nenhuma das formas apresenta paralelismo e paráfrase do segmento grifado proposto, pois se encontram no pretérito imperfeito do subjuntivo. - Item FALSO]

(D) a liderança / a atuação;

[liderança - próprio de quem é líder ou de quem lidera - não mantém vínculo semântico com lidar, ainda que atuação nominalize atuar. - Item FALSO]

(E) a lide / atuante.

[Essas substituições propostas configuram, de modo claro, uma quebra de paralelismo. - Item FALSO]

A letra A responde ao enunciado proposto na Questão.

Grande abraço!

Prof. DiAfonso

Acesse e curta PORTUGUÊS NO PONTO.



sábado, 16 de janeiro de 2016

Eis a Questão! Resolução e Comentários [01]


Olá, pessoal! Vamos ao PONTO?

O Português no Ponto inicia EIS A QUESTÃO! Trata-se de uma série de postagens com comentários e resolução de questões de diversos concursos públicos.

Abrimos a série com a QUESTÃO 2 do concurso público do TRE-RS [2015] para os cargos de Analista Judiciário e Técnico Judiciário.

Clique AQUI para ter acesso à prova.

******

QUESTÃO 2 [COMENTÁRIOS E RESOLUÇÃO]

Com relação aos aspectos linguísticos do texto As eleições na era da televisão, assinale a opção correta.


A] A palavra “correntes” (l.19) foi empregada no texto com o sentido de corriqueiro

[Embora a palavra "correntes" possa ter o sentido de "corriqueiro" ou "usual", a ideia presente no contexto é: aquilo que está em curso ou em vigor, ou seja, as análises que estão vigorando [em vigência] apontam para o que é afirmado na segunda oração do período. Item FALSO.] 

B] A eliminação dos vocábulos “é” e “que” no trecho “e é em sua sala de visitas que se informa” (l.7 e 8) prejudicaria a correção gramatical do texto.

[A retirada dos vocábulos em questão não acarretaria prejuízo gramatical, pois eles figuram no texto como recurso linguístico empregado pelo autor. A eliminação do "é" e do "que" apenas mudaria parte da estrutura do período fazendo surgir um adjunto adverbial de lugar isolado por vírgulas: "Assim, participa cada vez menos dos comícios públicos, e, em sua sala de visitas, se informa e debate...". Item FALSO.]

C]  A forma pronominal “las” (l.15) remete ao termo “as decisões” (l.13). 

[O pronome oblíquo átono "las" tem papel anafórico, isto é, retoma informações anteriormente expostas e promove a continuidade das ideias presentes no texto. De fato, na cadeia textual, o pronome "las" faz referência a "as decisões". Vale lembrar que "lo", "la", "los" e "las" são outras formas para os pronomes "o", "a", "os" e "as". Essas formas aparecem depois de verbos (ênclise) terminados em R, S ou Z. Item CORRETO.]

D]  A substituição de “aos quais” (l.29) por que manteria a correção gramatical do texto e seu sentido original.  

[O pronome relativo "que" poderia substituir "aos quais", se viesse antecedido da preposição A, pois a forma verbal "se opõem" exige tal preposição: quem se opõe, se opõe A. A correção gramatical estaria mantida assim:  "mesmo que sejam de candidatos a que se opõem". Item FALSO.]

E]  O vocábulo “Assim” (l.6) exerce função de adjunto adverbial..  

[Nesse contexto, "Assim" é conjunção coordenativa com valor semântico de conclusão e equivale a Portanto, Logo. Item FALSO.]


A letra C responde ao enunciado proposto na Questão 2.

Para saber mais sobre o que se comenta no item D, clique AQUI.

Grande abraço!

Prof. DiAfonso

Acesse e curta PORTUGUÊS NO PONTO.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Ortografia: HeTEro ou HÉtero


Olá, pessoal! Vamos ao ponto?

Falávamos ontem sobre "HÉterossexual" e "heterossexuAL". Agora, vamos abordar duas palavrinhas que trazem, também, alguma incerteza na hora da pronúncia e da escrita. Estamos nos referindo a "heTEro" e "HÉtero". Qual a grafia e a pronúncia corretas, segundo as normas ditas "oficiais" na língua?

A grafia, em consonância com as normas, é "HÉtero" que representa a redução [um dos processos formadores de palavras em língua portuguesa] de "heterossexuAL". A pronúncia é própria das palavras proparoxítonas [intensidade na antepenúltima sílaba].

Vale destacar que "HÉtero" possui valor semântico, sentido ou significado de "outro, diferente, não semelhante, desigual".

Você já deve ter encontrado palavras com esse radical [de origem grega], como: 

HETEROzigoto - indivíduo que tem alelos diferentes em um ou mais genes; 

HETEROtérmico – que tem temperaturas diferentes; 

HETEROgêneo – composto de partes de diferente natureza.

Grande abraço!

Prof DiAfonso

Acesse e curta PORTUGUÊS NO PONTO.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Ortografia: REINvindicar ou REIvindicar?


Olá, pessoal! Vamos ao ponto?

O dicionário Michaelis registra, para esta palavra, os possíveis significados [1]:

  1. Reclamar [o que é nosso, mas está em poder de outro];
  2. Avocar para si; recuperar ou tentar recuperar;
  3. Intentar demanda para reaver.

O dicionário também registra a origem da palavra em questão e nos dá pistas de como ela deve ser corretamente escrita. O Michaelis indica que a palavra provém da expressão latina rei vindicare, e é essa origem que justifica a forma "REIvindicar" como sendo a correta. 

Uma dica é pensar em REI e, em seguida, juntar vindicar.

Lembrando que palavras que fazem parte da mesma família, tais como "REIvindicação" e "REIvindicável", devem ser grafadas com REI

[1] O campo semântico ou de sentidos para esta palavra pode ser visto em exigirpleitear e requerer algo a que se tem direito.

Grande abraço!

Prof. DiAfonso

Acesse e curta PORTUGUÊS NO PONTO.


sábado, 9 de janeiro de 2016

Ortografia: PrevEnir ou PrevInir?


Olá, pessoal! Vamos ao ponto?

De acordo com o padrão ortográfico oficial em vigor, o infinitivo desse verbo é "prevenir". 

Ocorre que algumas formas são escritas com "i" após o "v" do radical, como em: eu previno / que eu previna / previna [você], gerando confusão na hora de grafar a forma infinitiva.

Essa mudança acontece porque o verbo é irregular e tem a vogal "e" do radical mudando para a vogal "i" no presente do indicativo e nas formas dele derivadas [presente do subjuntivo e os imperativos: afirmativo e negativo]. Vejamos:

Presente do Indicativo: eu previno, tu prevines, ele[a] previne; nós prevenimos, vós prevenis, eles[as] previnem

Presente do Subjuntivo: que eu previna, que tu previnas, que ele[a] previna; que nós previnamos, que vós previnais, que eles[as] previnam

Imperativo Afirmativo: -, previna [tu], previna [você], previnamos [nós]; preveni [vós], previnam [vocês] 

Grande abraço!

Prof. DiAfonso

Acesse e curta PORTUGUÊS NO PONTO.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Adequação Vocabular e Sintaxe de Concordância



Olá, pessoal! Vamos ao Ponto?

O texto verbal, na imagem acima, reproduz o que uma apresentadora da CBN disse ao professor Mario Sergio Cortella.

Considerando a análise da adequação vocabular e das relações sintáticas na primeira e na última oração, é possível afirmar que, de acordo com a norma padrão para textos formais [escritos ou orais],

1. ambas as estruturas estão corretas;


2. ambas as estruturas apresentam desvios.

Comentários:

Há problemas de adequação vocabular e de sintaxe nas duas estruturas:

1. A inadequação vocabular ocorre com o uso da forma verbal "TEM" [em "tem pessoas falando de árvores de natal..."]. Seria adequado o uso de HÁ/EXISTEM ["há/existem pessoas falando..."].

2. O problema sintático se dá na ausência de concordância entre a locução verbal "FOI MONTADA" e o núcleo do referente do pronome relativo "QUE". A correção seria: "...falando de árvores de natal que não FORAM MONTADAS".

Áudio original no link abaixo:

http://cbn.globoradio.globo.com/…/COMEMORAR-MENOS-NAO-SIGNI…

Grande abraço!

Prof. DiAfonso



Acesse e curta PORTUGUÊS NO PONTO.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...